A polêmica pesquisa sobre a cloroquina e a hidroxicloroquina da “The Lancet” é despublicada

Os autores da pesquisa que ensejou a suspensão de testes realizados pela OMS pediram desculpas, se retrataram e disseram que não há como confiar nos dados utilizados na pesquisa

Os autores do estudo com cloroquina e hidroxicloroquina para Covid-19, publicado no último dia 22 de maio na revista de ciência The Lancet, se retrataram na tarde desta quinta-feira (4).

Eles afirmaram em nota que não podem mais garantir a veracidade dos dados usados para estruturar a pesquisa, quando concluíram que havia risco no uso das substâncias contra o novo coronavírus.

PUBLICIDADE

Por causa do estudo, realizado com mais de 96 mil pessoas, a OMS (Organização Mundial da Saúde) suspendeu os testes que vinha fazendo com as substâncias, pois havia o risco de complicações cardíacas com o uso delas.

Mas a organização internacional (OMS) voltou a autorizar a realização dos testes, embora o tratamento com cloroquina não seja autorizado, pois ainda não há nenhum estudo conclusivo sobre a segurança do medicamento.

O governo Bolsonaro tem mais uma vitória simbólica na luta política, pois desde o começo da pandemia o presidente defende o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19.

PUBLICIDADE

LEIA TAMBÉM:

Cantora gospel Fabiana Anastácio morre de Covid-19;

TSE decide que as convenções partidárias serão virtuais por causa da pandemia do novo coronavírus;

Facebook Comments
Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *